segunda-feira, 28 de março de 2011

“O Poema é um arbusto que não cessa de tremer”



O Poema é escrita,
Que não pára de se movimentar,
Pois nós o seguramos com inteligência
E com o nosso coração a flutuar.
Parece uma árvore florida,
Cada flor com uma palavra especial,
E com a nossa mão florimos mais flores coloridas.
O Poema é,
O que sinto de verdade,
O que me espera de realidade,
O que não espero mas seco de esperança.
O Poema é infinito,
Muito caloroso de ideias,
Parece areia que se cola a nós,
Árvores muito caladas,
Canetas pintadas,
Momentos pensativos e diversos!
Adoro Poesia,
Faz-me lembrar um cavalo a pinchar a cada minuto,
Um avião a rastejar pintado de transparente,
Água coberta de sumo,
Pessoas animadas a trocar nós,
Televisões sem cabos mas com cores trocadas.
O Poema é mágico,
Cada frase é um feiticeiro,
Cada palavra é uma varinha de condão,
E cada letra é o que sinto do fundo do coração!


Gabriela Nunes (21-03-2011)

domingo, 18 de abril de 2010

A fada e a sua missão!


Era uma vez uma fada que se chamava Florinda.
Durante o Verão ela costumava passar férias na Floresta Encantada.
Durante as suas férias na floresta, houve muitos incêndios que provocaram muitos estragos na Natureza, causando o desaparecimento de árvores e animais. Com tudo isto a fada resolveu fazer um chuveiro gigante para apagar os incêndios que causavam estragos e o desaparecimento dos animais. Desta forma a floresta passou a ficar mais protegida.
Assim a floresta e os animais passaram a sentir-se mais protegidos e felizes.

(texto colectivo da minha turma)

segunda-feira, 22 de março de 2010

Dia Mundial da Água!

A água é muito importante para a nossa sobrevivência.
Adoro a água, porque faz maravilhas!!!
video

quinta-feira, 18 de março de 2010

quarta-feira, 17 de março de 2010

A robot Faz Tudo


Era uma vez uma menina chamada Joana. Essa menina era trabalhadora e muito inteligente. Ela trabalhava tanto que à noite adormecia logo. Um dia teve a ideia de inventar um robot que fizesse tudo, para ela poder descansar um bocadinho… ou muito tempo.
Inventou primeiro a cabeça: começou por construir uma ventoinha para fazer ar quando ela estivesse suada; logo de seguida, foi buscar dois olhos, uma boca e dois ouvidos para ela poder ver, falar e ouvir. Depois para mostrar que era uma robot, a Joana arranjou uma fita para a cabeça com um laçarote. A seguir construiu-lhe o tronco e dez braços, para fazer muitas coisas ao mesmo tempo e oito botões: um para fazer a comida; outro para ligar a ventoinha; outro para falar com as pessoas, ouvi-las e vê-las; outro para transformar as coisas mais velhas em novas, para limpar a casa, construir casas, portões, mobília…; o outro era para se escrever o que se queria que ela fizesse.
Por fim construiu dez pernas elásticas e dois braços, para a robot poder pegar na menina e elevá-la muito alto, para que ela pudesse ver as coisas mais altas.
Quando a acabou de construir foi logo mostrá-la aos pais que estavam a cozinhar. Eles ficaram muito orgulhosos por ver aquele trabalho da Joana que ainda só tinha oito anos. Deram-lhe um abraço e a robot Faz Tudo ficou sempre a trabalhar enquanto eles descansavam.
E assim foi a história de uma robot Faz Tudo!!!

segunda-feira, 15 de março de 2010

A Aventura da Pulga Tonta!


Se fosse uma pulga tonta, queria viajar com uma amiga num avião. Tinha de saltar tanto para ver as paisagens pela janela e a minha amiga também.
Um dia, ao saltar para ver as paisagens, toquei num botão e a janela abriu, e nós fomos pela janela fora. Caímos na Austrália. Lá vimos um canguru cor-de-laranja, tão grande que quase nos calcava, mas nós saltamos para o corpo dele. Ele começou a ficar com comichão, abanou-se tanto que nos atirou para uma ilha.
Essa ilha era espectacular e bonita, tinha um mar brilhante.
Nós procuramos comida, mas não encontramos, e mesmo que encontrássemos comida seria enorme e nós tinhamos que comer muito e demorávamos a comer aquela comida toda. Um dia, encontramos migalhas, que é como um pão inteiro para nós. Encontramos tantas que nos levaram ao mar.
Vimos um barco com outras pulgas tontas e eu e a minha amiga perguntamos-lhes se nos levavam a casa. As pulgas tontas, como eram invejosas, não nos deixaram.
Passado dois dias, apareceu um barco pequeno, com dois homens pequenos e muito simpáticos, que iam visitar a ilha.
Enquanto os homens foram visitar a ilha, eu e a minha amiga aproveitamos e entramos no barco. Demoramos muito a chegar, porque éramos muito pequenas. Como os homens ficaram com fome, foram ao café; foi por sorte, porque a minha casa era mesmo ao lado.
Quando chegamos a casa falamos da nossa aventura.

segunda-feira, 8 de março de 2010

Dia 8 de Março – Dia Internacional da Mulher!


Neste dia, do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declarara um incêndio, e cerca de 130 mulheres morreram queimadas. Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher". De então para cá o movimento a favor da emancipação da mulher tem tomado forma, tanto em Portugal como no resto do mundo.

Com esta celebração, pretende-se hoje chamar a atenção para o papel e a dignidade da mulher e levar a uma tomada de consciência do valor da pessoa, perceber o seu papel na sociedade, contestar e rever preconceitos e limitações que vêm sendo impostos à mulher.